Mensagem do Presidente do Conselho Diretivo da FCT

O “Acesso Aberto” constitui-se, no âmbito da política de Ciência Aberta da FCT, como um aspeto essencial da ciência moderna, o qual é crítico para o seu progresso e para a sua democratização.

O acesso aberto contribui para fomentar a sinergia entre as diferentes áreas do conhecimento, para aumentar o número e grau de envolvimento de diferentes atores nos processos de investigação (não apenas investigadores) e para promover a abrangência, a difusão e a apropriação do conhecimento.

A FCT tem sido agente desta progressiva mudança no panorama nacional e internacional, através da sua política sobre o acesso aberto, merecendo aqui destaque a recente conclusão do processo de adesão da infraestrutura nacional RCAAP à rede de repositórios latino-americana La Referencia, promovendo-se assim o Acesso Aberto e gratuito ao conteúdo completo das publicações resultantes de investigações financiadas com fundos públicos. Este é mais um instrumento para promover a disseminação da produção científica das instituições de ensino superior e investigação nacionais em toda a América Latina.

Adicionalmente, o sucesso da colaboração entre Portugal e o Brasil no capítulo da Ciência Aberta, resultou na assinatura, em Junho, do Memorando de Entendimento com o Brasil para a cooperação em matéria de Ciência Aberta, o qual estende o âmbito original da colaboração à gestão e partilha de dados de investigação, incluindo a capacitação dos investigadores e a adoção das melhores práticas, e determinando a cooperação luso-brasileira no apoio aos demais países lusófonos para a adoção da Ciência Aberta.

Têm também sido prosseguidas medidas que promovem o trabalho colaborativo nacional, como a aposta na capacitação da comunidade académica para a gestão dos dados de investigação, através da realização periódica dos Fóruns de gestão de dados, os quais, de edição para edição, atraem cada vez mais interesse e participação.

Por fim, e voltando ao Acesso Aberto, refira-se a estratégia da FCT – com o importante envolvimento do CRUP, do CCISP e da APESP – nas complexas negociações junto dos editores académicos para a renovação das assinaturas da B-On, a qual procura facilitar o Acesso Aberto das publicações de autores financiados pela FCT ou de instituições nacionais, através da disponibilização das publicações nos repositórios do RCAAP com períodos de embargo conformes com a Política de Acesso Aberto da FCT.

Cabe agora a toda a comunidade – investigadores, gestores de ciência, docentes, alunos e gestores institucionais – participar nas iniciativas em curso, fazer uso de todos os recursos disponibilizados, certos de que contam com a FCT para a evolução de uma Ciência Aberta que sirva a comunidade científica e a sociedade, em geral.

Boa Semana Internacional do Acesso Aberto!